quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Soy loco por tri América 2011 (Cap. 1) - Liverpool 2 x 2 GRÊMIO

POST TRICOLOR POR:
Fala galera Tricolor! Bom, ontem nosso Imortal iniciou a busca pelo Tri da América nesta temporada. Com isso inaguramos a nova série aqui do blog que é a 'Soy loco por tri América 2011', que (se Deus quiser) terá (curiosamente *--*) 16 capítulos, falando sobre todos os jogos do Copeiro Grêmio até a final. Os posts serão feitos por mim e pela nossa tricolor Luana da Rosa nas manhãs após as batalhas. Hoje não aconteceu porque passei o dia de ontem mergulhado em 40 graus de febre, só saindo da cama pra assistir o jogo, mas nos próximos jogos será como expliquei acima. Mas agora então, 'aguante':

Depois de uma temporada voltamos ao lugar de nosso merecimento, a Copa Libertadores. Nesta temporada em que ficamos de fora muita coisa aconteceu. Ganhamos o Gauchão e nos encaminhávamos para um bom ano, mas tudo caiu por terra. Ficamos na semi-final da Copa do Brasil ante um Santos arrasador, vimos elas (com aquela 'largura' típica) levar a América enquanto fazíamos jogos pífios sob o comando de Pastor Silas Malafaia e o planejamento de Luis Onofre Meira (pessoa que não fazia bem ao Grêmio, como bem disse Maxi López). Quando finalmente os despreparados saíram de suas funções nós já amargavamos a 18ª posição do Campeonato Brasileiro, no mês de agosto.
Mas tudo tem que ser mais difícil pra nós mesmo.
Renato Portaluppi assumiu, perdendo na estreia da sul americana para o Goiás (roubado, diga-se de passagem). Mas ajeitou um plantel de qualidade que sofria com a falta de comando e fez um 2º turno épico. Ao mesmo tempo em que 'O pacto' terminou, de 18º fomos para 4º, fechando o ano goleando o Botafogo e com a certeza de sermos o melhor time do país no momento. Mas para irmos para a Libertadores, vejam só o que aprontou-nos o destino: dependíamos de que o Independiente vencesse o já rebaixado no Brasileiro e nosso carrasco na mesma competição Goiás.
- O jogo ficou perigooosooo! Gol do Mazembe!
Tudo tem que ser mais difícil pra nós mesmo, até quando não estamos jogando.
Depois de perder em no Serra Dourada, o Independiente venceu o jogo com uma dose grande de sorte e levou para os pênaltis. Venceu, vencemos. América, te prepara que o Imortal voltou. Para fechar um ano que vivemos o inferno e o céu, ganhamos um presente vindo dos nossos rivais, que protagonizaram um fiasco nunca antes visto e infelizmente mentira comeram o pão 'Kidiaba' amassou.


E aí começou a temporada 2011. Perdemos muito tempo de negociação frustrada com o traídor que dizia amar o Grêmio. A diretoria fez uma susseção de erros e atrasamos algumas renovações de contrato que culminaram na perda de Jonas, dois dias antes da estreia na Libertadores. Além disto, não trouxemos ninguém para enfrentarmos o Liverpool, mas fomos na base do bom comando de Renato e pulsando com a camisa que já fez história nesta competição e com a torcida que entoava os cantos tradicionais da Geral do Grêmio e fazia com que nos sentissemos em casa.

O primeiro gol da jornada foi marcado por ele, André Lima #21
O time foi à campo também sem Adilson, suspenso por um carrinho épico na semi-final de 2009. E a partida iniciou-se. Iniciativa ofensiva e com 6 minutos Douglas cobrou o escanteio e André Lima cabeceou a bola no travessão que caiu caprichosamente em cima do goleiro Castro e entrou: 1 a 0 Grêmio e a sensação de que seria um massacre.
Porém dois minutos depois Maureen Franco cobrou uma falta de muuuito longe e incrívelmente nosso arqueiro de seleção Victor aceitou. 1 a 1.
Logo após Douglas cobrou falta que lembrou a de Tcheco, contra o Palmeiras em 2008. André Lima pulou mas não alcançou e a bola foi entrando. 2 a 1. O Grêmio teve chance de aumentar o placar quando Junior Viçosa perdeu na linha da pequena área. Além do mal jogo de Viçosa, Gílson também vinha jogando mal e num escanteio do Liverpool, onde estava encostado à trave, não se mexeu e apenas viu a cabeçada de Guevara empater novamente o jogo no Centenário. Bruno Colaço foi pro aquecimento. Findou-se assim o primeiro tempo.

Para o segundo tempo os times permaneceram os mesmos e com atitudes ofensivas. Primeiro o Grêmio, com Lúcio. Ele recebeu na esquerda da área, matou no peito e chutou na trave. O time da casa respondeu com Alfaro cruzando da esquerda e terminando na cabeçada de Franco para fora. Victor logo depois mostrou quem é de verdade e fez uma boa defesa.
Lúcio teve uma boa atuação no meio
mas certamente o destino é a lateral.
Com os uruguaios pressionando, Renato tirou Viçosa para entrada do estreante Vinícius Pacheco. Rochemback ainda quase marcou em uma falta aos 17, enquanto víamos Paulão tentando ser lançador. Pô Paulão, zagueiro sim mas pra passe não! Não só para zagueiro mas para defender na briga. Aos 30 num cruzamento, André Lima foi na bola que Castro ja havia defendido, ocasionando um choque. Os jogadores do Liverpool foram pra cima e Paulão botou respeito junto com os outros jogadores que chegaram. Destaque pro tal de 'Maxi Montero'. Cabeludo, capitão e fanfarrão, querendo se botar no Vilson a qualquer custo. O Grêmio não se acertou mais, as ligações ofensivas eram só com balões de Victor ou lançamentos de Paulão. Não se via mais Douglas e Vinícius Pacheco não teve chance alguma. Muitos passes errados. Gílson finalmente saiu, deixando a certeza de que não joga quarta que vem para a entrada de Diego Clementino. Puxando assim, Lúcio para a lateral esquerda e Vinícius Pacheco para o meio. André Lima também saiu para entrada de Lins. O Liverpool continuava melhor e aos 49 Figueroa errou uma conclusão, terminando assim a partida.

Rodolfo: Enfim Imortal!
A conclusão que fica é que ainda falta ritmo de jogo. Inevitavelmente o rendimento não ia ser dos melhores, ainda com o gramado do Centenário em condições muito ruins. Quarta-feira que vem, no Olímpico já iremos ver uma atuação bem melhor, mas mesmo assim é clara a necessidade de reforços. Um atacante e um meia de ligação são fundamentais para termos chances reais na LA.
Falando em reforços, o zagueiro Rodolfo desembarcou em Porto Alegre finalmente. Assim como André Lima, senti nele essa identificação com a 'Imortalidade' do Grêmio e tem tudo para ser ídolo

Assim termina o primeiro capítulo desta saga, quarta que vem estarei no Monumental pulsando entre nos trapos e as bandeiras da Geral, ajudando a construir mais um capítulo rumo ao tri da América!

Um abraço!

0 comentaram. Comente também!:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...